sexta-feira, 3 de maio de 2013

O VALOR DA DISCIPLINA E DA CORREÇÃO



Texto Biblico: Hb. 12.5-11

 

5 E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do SENHOR, E não desmaies quando por ele fores repreendido;

6 Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho.

7 Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija?

8 Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos.

9 Além do que, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos?

10 Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.

11 E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.

 

 

Introdução:

 

 

         O ato de corrigir é aplicar a instrução. Já a disciplina é a ordem que convém ao bom funcionamento de uma organização. É também o conjunto de leis e normas pelas quais se regem certas entidades coletivas.

         Vivemos um período de pessoas indisciplinadas, inclusive dentro da igreja. Não tem disciplina no horário de chegar aos cultos, não tem disciplina dentro do templo, não tem disciplina nos compromissos assumidos com a igreja etc.

         A disciplina é algo que ninguém se sente bem ao fazê-la, mas é algo extremamente necessária em todas as áreas da sociedade (inclusive na igreja), para coibir praticas que de outro modo não é possível.

         Em suma do que temos dito nesta introdução: “A correção é a aplicação da instrução, já a disciplina é a aplicação de métodos quando a instrução não é seguida.”.

 

I – A IMPORTÂNCIA DA INSTRUÇÃO NA IGREJA

 

1. Equilibra o comportamento espiritual da igreja – Pv. 15.32, Hb. 8.11

 

32 O que rejeita a instrução menospreza a própria alma, mas o que escuta a repreensão adquire entendimento.

 

11 E não ensinará cada um a seu próximo, Nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece o Senhor; Porque todos me conhecerão, Desde o menor deles até ao maior.

 

2. É o método de Deus para a preservação da igreja – Is. 26.16

 

16 Ó SENHOR, na angústia te buscaram; vindo sobre eles a tua correção, derramaram a sua oração secreta.

 

3. É para induzir ao infiel a concerta-se com Deus – Hb. 12.6,7

 

6 Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho.

7 Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija?

 

 

4. É um ato de amor – Ap. 3.19

 

19 Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.

 

 

5. É um ato de zelo – Jo. 2.17, Sl. 79.5

 

17 E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorará.

 

5 Até quando, SENHOR? Acaso te indignarás para sempre? Arderá o teu zelo como fogo?

 

II – O VALOR ESPIRITUAL DA DISCIPLINA

 

1. Evidência a presença do Senhor – At. 5.5

 

5 E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram.

 

2. O objetivo é manter a igreja em estado de pureza – Hb. 12.8

 

8 Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos.

 

 

III – A CORREÇÃO/INSTRUÇÃO NA IGREJA

 

1. Quem despreza a instrução é?

 

v  Louco – Pv.1.7

 

7 O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.

 

v  Bruto – Pv. 12.1

 

1 O QUE ama a instrução ama o conhecimento, mas o que odeia a repreensão é estúpido.

 

2. Por que devemos receber a instrução?

 

v  É vida – Pv. 4.23, 6.23, Pv. 10.17

 

13 Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida.

 

23 Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as repreensões da correção são o caminho da vida,

 

17 O caminho para a vida é daquele que guarda a instrução, mas o que deixa a repreensão comete erro.

 

3. O que acontece com quem despreza a instrução?

 

v  Menospreza sua alma – Pv. 15.32

 

32 O que rejeita a instrução menospreza a própria alma, mas o que escuta a repreensão adquire entendimento.

 

v  Pobreza e afronta terá – Pv. 13.18

 

32 O que rejeita a instrução menospreza a própria alma, mas o que escuta a repreensão adquire entendimento.

 

IV – A DISCIPLINA ATRAVÉS DA REPREENSÃO.

 

1. A quem devemos reprender, e a quem não devemos?

 

v  Ao escarnecedor, não devemos – Pv. 9.7,8

 

7 O que repreende o escarnecedor, toma afronta para si; e o que censura o ímpio recebe a sua mancha.

8 Não repreendas o escarnecedor, para que não te odeie; repreende o sábio, e ele te amará.

 

v  Aos sábios, devemos – Pv. 9.9

 

9 Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina o justo e ele aumentará em doutrina.

 

2. Como deve ser a repreensão?

 

v  Na presença de todos – 1Tm. 5.20

 

20 Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor.

 

v  Severamente – Tt. 1.13

 

13 Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé.

 

v  Com autoridade – Tt. 2.14,15

 

14 O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.

15 Fala disto, e exorta e repreende com toda a autoridade. Ninguém te despreze.

 

v  Abertamente – Pv. 27.5,6

 

5 Melhor é a repreensão aberta do que o amor encoberto.

6 Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos.

 

 

Conclusão:

 

         Pelo que acabamos de ver neste estudo, parece que algumas partes da Bíblia, que falam da correção e da instrução perderam o valor para algumas pessoas. Estamos vivendo um período de pessoas dentro da igreja totalmente indisciplinadas. Quando falamos em disciplina, estamos nos referindo em todas as áreas das nossas vidas. Um pequeno estudo como este, não tem a pretensão de exaurir o assunto, visto a complexidade do mesmo. O verdadeiro evangelho de Jesus Cristo, ele impõe limites a nossa liberdade. Liberdade esta que hoje é apregoada por muitos. Mais liberdade sem disciplina, ou seja limites, vira libertinagem, o que muitos praticam hoje dentro das igreja, acobertados por uma capa da liberdade que segundo eles, tem em Cristo.

         Para finalizar veja um exemplo de libertinagem disfarçada de liberdade: Cada dia aumenta mais o numero de crentes que não tem igreja. Senão tem igreja, não tem pastor. Se não tem pastor não tem instrução. Se não tem instrução, estão sem limites. Se estão sem limites, estão na libertinagem. Paulo era um missionário itinerante, mas tinha uma igreja para prestar conta, a saber, Antioquia de Filipos. O exemplo da igreja que muitos desejam hoje estar em Jz. 21.25 (25 Naqueles dias não havia rei em Israel; porém cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos.). Que Deus tem misericórdia de nos, e nos guarde de uma igreja assim.

 

 

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário